«

»

maio 16

Imprimir Post

Crônica: O velho amigo Miranda

Antonio Miranda e o ex-presidente da Fundac Ramon Rodney, em uma visita àquele órgão da cultura local. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Antonio Miranda e o ex-presidente da Fundac Ramon Rodney, em uma visita àquele órgão da cultura local. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Graças à nova tecnologia e ao avanço da informática quando o amigo Gleydson Guimarães, éramos funcionários da Câmara Municipal durante a gestão do vereador Dijalma Da Silva Souza, foi quando criei meu primeiro MSN e meu perfil no Orkut. A partir de então passaria a interagir com amigos de perto e de longe. Confesso que adorei a ideia, mesmo sendo leigo no assunto – e ainda sou até hoje – em meados dos anos de 2004.

E entre vários acessos para adicionar amigos dali, outros colegas daqui, surge um convite de um senhor que dizia ser meu conterrâneo. Um detalhe me chamou atenção nas suas páginas: um vasto acervo de fotos antigas e atuais de Areia Branca.

Este amigo virtual chama-se Antonio Miranda, conhecido por F. Miranda e graças às redes sociais, nossos contados passaram a acontecer com mais frequência.

Dia desses fui convocado pela Fundação Areia Branca de Cultura para participar de um programa do Poder Judiciário em nível de estado onde desenvolveria uma série de atividades burocráticas para a emissão de documentos pessoais. Quando já estava cansado daquela atividade, resolvi dar uma pequena pausa e comecei a me movimentar pelo corredor onde estavam montados inúmeros estandes. Foi neste momento em que cruzei com um senhor que fixou seu olhar em mim, bateu no ombro e perguntou-me se eu seria Paulo César de Brito. Quando confirmei minha identidade, aquele senhor disse que era um prazer me conhecer e tratou de apresentar-se pessoalmente afirmando ser o Miranda.

Em outro momento, encontrei o amigo Miranda e sua irmã. (Foto: Arquivo Pessoal)

Em outro momento, encontrei o amigo Miranda e sua irmã. (Foto: Arquivo Pessoal)

O momento me trouxe alegria em poder conhecer e encontrar este conterrâneo tão ilustre. Logo começamos a conversar sobre nosso povo e nossas tradições. Miranda disse ainda que goza de amizade antiga com meu velho pai.

Não passou muito tempo e surgiu no meio, a figura do meu pai. Foi aí que a felicidade tomou conta da conversa e deu outro rumo, pois a dupla aproveitava os minutos de conversa para resgatar épocas de ouro na qual haviam as peladas no campo da saudade e dos craques que esta terra já teve. Outro detalhe que não sabia é que Miranda e Vicente Brito são compadres.

Sempre vejo em seu facebook, atualizações com fotos recentes e antigas da amada Areia Branca. Miranda é um eterno apaixonado por nossa querida cidade e mesmo distante da salinésia, carrega sua gente no coração com carinho e respeito e procura saber como anda essa gente.

Miranda, amigo de meu pai, meu amigo e com certeza amigo dos meus filhos e netos, quero desejar-lhe felicidade e que retorne sempre em sua terra para rever seus pagos quantas vezes for preciso para desfrutar daquele gostoso bate-papo de saudosas lembranças. Avante companheiro Miranda, pois Areia Branca, a “Terra Nostra” ainda precisa de todos nós.

Paulo César de Brito
Cronista areia-branquense

Link permanente para este artigo: http://vozdeareiabranca.com.br/2014/05/cronica-o-velho-amigo-miranda/

3 comentários

  1. antonio fernando miranda.

    Caro Paulo Cesar, obrigado pelas referência contidas neste texto, porem o ilustre desta história, é você e não eu. Na verdade sou um apaixonado por Areia Branca, e te darei apenas estes 2 exemplos como prova.
    1- Residi durante 25 anos no Rio de Janeiro, e nunca gozei umas férias lá, eram todas em Areia Branca. Em uma das viagens tive como companheiro da mesma, Manoel de Zefinha Barbosa, e Beque de Chico de França, que aí está para confirmar.
    2- Minha filha nasceu lá (no Rio de Janeiro), e aos 3 meses levei-a para batiza-la aí. Também a festa do segundo aniversário e dos 15 anos dela, foram realizados no Ivipanim Clube. Ambas foram registradas pelo amigo e competente cinegrafista João de Castro.
    Acompanho diariamente através dos blogues de Jaílton, Luciano e Carlos Junior, as notícias desta minha querida terra. Leio com tristeza a escalada da violência nesta outrora pacata Areia Branca. Muito embora saiba, que esta violência está grassando no pais de norte a sul, simplesmente por omissão dos que deveriam detê-la. Porem isto é outra história.
    Um grande abraço amigo.

  2. roberto

    CARO AMIGO PAULO CÉSAR, EM MEU NOME E DE TODA MINHA FAMÍLIA, QUERO TE AGRADECER POR ESSA JUSTA HOMENAGEM AO MEU QUERIDO TIO ANTONIO (TITONHO).

  3. roberto

    Agradeço em meu nome e de toda minha família á justa homenagem ao meu querido TIO ANTONIO (TITONHO).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>