«

»

abr 09

Imprimir Post

Poema: Meu Reflexo

Meu reflexo - SeixasOlho no espelho
E fico a admirar o meu reflexo,
O reflexo do meu rosto.
Já não tenho mais o rosto de outrora
La se foi a minha meninice,
E também a minha juventude
E com ela se foi também
O meu mundo inocente.
O tempo nem foi tão cruel com o meu rosto,
Não existe tantas marcas que incomodam,
Mas o meu rosto estar com certeza mais adulto,
cheio de experiências vividas.
Ora tristes, ora alegres,
Mas experiências que ao longo do tempo.
Fizeram de mim uma pessoa mais humana.
É o mesmo espelho
Que reflete o mesmo rosto,
Mas com muitas marcas deixadas pelo tempo;
Este inimigo tão cruel para uns,
Mas muito generoso para comigo.
Sinto saudades do meu rosto criança,
Pois não existiam tantas maldades,
Como existem no meu rosto adulto,
Onde tantas lagrimas já rolaram.

Aldemir Seixas
Envie seu poema, conto ou crônica para publicação no site Voz de Areia Branca. E-mail: [email protected] Leia outras Poemas e Poesias enviados pelos leitores de Voz de Areia Branca

Link permanente para este artigo: http://vozdeareiabranca.com.br/2013/04/09/poema-meu-reflexo/

1 comentário

  1. Paulo César de Brito

    Achei muito bonito esse poema, escrevi uma cronica onde dei o titulo de VIAGEM DE REGRESSO. fala desse tema. Aldemir você está de parabéns por nos presentear com esse belíssimo poema. Sei que coisas melhores virá, um amigo mim falou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>