«

»

jul 29

Imprimir Post

Poema: Necessito me fazer vivo

Escrevo porque gosto,
Escrevo sobre tudo sem medo de errar.
Escrevo sobre o nada de uma mente vazia.
Escrevo porque meus dedos são impulsionados.
Escrevo sem preconceito,
Sem obediência a nenhuma regra.

Escrevo em qualquer lugar,
Escrevo no escuro da noite,
Escrevo no clarão do dia,
Escrevo por necessidade,
Porque escrever me faz livre.

Escrevo porque tenho sede e fome de liberar minhas ideias,
Escrevo no silencio. O barulho, escrevo em qualquer parte.
Escrevo verdades. Escrevo mentiras.
Escrevo a dor que muitas vezes não sinto.
Escrevo sobre o amor muitas vezes não correspondido.
E nesse escrever as letras saem da minha alma.
E caem sobre o papel feito bailarinas num palco de teatro.
Caem sozinhas, mas que em harmonia perfeita vão se unindo.
Dando forma as ideias.
é assim que materializo meus sentimentos e  pensamentos.
É assim que me farei vivo.
É assim que me farei eterno.
Escrevendo.

Aldemir Seixas
Envie seu poema, conto ou crônica para publicação no site Voz de Areia Branca. E-mail: carlosjunior@vozdeareiabranca.com.br Leia outras Poemas e Poesias enviados pelos leitores de Voz de Areia Branca

Link permanente para este artigo: http://vozdeareiabranca.com.br/2012/07/29/poema-necessito-me-fazer-vivo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>